AVE, CHEIA DE GRAÇA!

Por Padre David Francisquini

A gravíssima crise moral que aflige nossa sociedade está refletida nos falsos prazeres que a vida moderna oferece e em busca dos quais correm sôfregas as multidões. Nem mesmo os tementes a Deus estão imunes aos efeitos dessa crise, que desvia do reto caminho que conduz ao Bem supremo e à felicidade eterna.

A atração pelos prazeres desordenados decorre do pecado original, que tornou nossos primeiros pais e toda a sua descendência sujeitos ao pecado, à doença e à morte.

A única exceção foi a Santíssima Virgem, escolhida para ser a Mãe de Deus. Nascida sem culpa original, conforme o atestaram o Anjo e Santa Isabel — “Ave, cheia de graça, o Senhor é contigo” e “Bendita és tu entre as mulheres e bendito o fruto do teu ventre”, o demônio nunca teve qualquer poder sobre Ela. Antes, pelo contrário, diante de Nossa Senhora ele é um eterno derrotado. É o que se comprova ao longo da História.

Na sua luta contra os albigenses radicados no sul da França, São Domingos de Gusmão se deparou com almas tão obcecadas e afastadas de Deus e da verdadeira Religião que, por orientação expressa de Maria Santíssima, começou a difusão da devoção ao Santo Rosário, e só assim se extirpou a heresia albigense (ou cátara) daquela região.

Nas batalhas de Belgrado (1456), Lepanto (1571) e Viena (1683), foi ainda Nossa Senhora quem deu a vitória às hostes católicas contra as insidiosas arremetidas dos sequazes de Maomé. E hoje, diante de uma Europa invadida por muçulmanos de todos os quadrantes — o que só foi possível pelo concurso de suas próprias autoridades civis e religiosas —, a salvação está novamente n’Aquela que é “mais terrível que um exército em ordem de batalha”.

Basta a humanidade se afastar da Mãe de Deus — levada talvez pelo falso temor de que a devoção a Ela poderia diminuir em algo Jesus Cristo, ou ainda para não desagradar a algum protestante — para que tudo comece a minguar.

Qual arca salvadora, prevendo o que ia se passar no mundo nesses últimos 100 anos, Nossa Senhora pediu oração, penitência e emenda de vida, bem como a consagração da Rússia ao Seu Imaculado Coração. Infelizmente a humanidade não correspondeu, e por isso está sendo assolada por toda sorte de calamidades, físicas de morais.

No entanto, além desses pedidos e da previsão de castigos, caso os homens não se convertessem, a Santíssima Virgem também prometeu o triunfo de Seu Imaculado Coração.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Show Buttons
Hide Buttons