Jesus é visto vivo na Santa Hóstia

4-Corpus-Cristi-7Foi a 3 de fevereiro de 1822 em Bordéus, na França. O Padre Delort foi dar a bênção do Santíssimo no convento das Irmãs de Loreto. Às 16,30 hs. começaram as cerimônias. Apenas exposto o Santíssimo no altar, um leve movimento se manifestou na santa Hóstia. Viam-se distintamente o peito e a cabeça de Nosso Senhor, rodeado de uma auréola brilhante. Aparecia os raios da custódia, ampliada como um retrato dentro de moldura, com a diferença, porém, que a pessoa era viva e animada. O rosto era de elegante candura e extraordinariamente belo. Os cabelos louros caíam em caracóis pelos ombros. Tinha a mão esquerda sobre o coração e estendia a direita para os assistentes. De vez em quando se inclinava, parecendo sair do ostensório que, então, parecia maior do que de costume. Tinha em cada ombro um como que diamante a brilhar, e dir-se-ia que a capela era iluminada de todos os lados por luzes de um fulgor intenso.

Todos os que estavam na igreja presenciaram o fato. E Jesus ficou assim durante todo o tempo da bênção: uns vinte minutos. Na hora em que abençoou os assistentes, estava ainda visível na santa Hóstia. Só desapareceu quando o sacerdote foi fazer a reposição.

Acostumemo-nos a olhar com fé viva na Hóstia consagrada. Jesus está nela. Ele olha para nós e abençoa-nos.

N.E.: Que bondoso Deus temos nós! Que milagres portentosos nos demonstram a presença real de Nosso Senhor Jesus Cristo na Sagrada Eucaristia! Não seria necessário que os milagres acima narrados se operassem, pois Jesus na última Ceia disse que o pão e vinho consagrados seriam sua carne e sangue; todavia, a bondade divina quis, por certo, fortalecer a nossa Fé.


(JESUS NO SANTÍSSIMO SACRAMENTO – Frei Câncio Berri, OFM –

Editora Vozes Ltda.Petrópolis, RI – 1ª. edição, 1954, p. 13 – 14).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Show Buttons
Hide Buttons